sábado, 3 de julho de 2010

Klose to Goal

Mais alguns ótimos números do polonês naturalizado Klose, por hora artilheiro deste Mundial.

O jogo de hoje contra a seleção argentina foi o centésimo do atacante com a camisa da seleção. Já é o sétimo atleta com o maior número de partidas com a equipe alemã.

Com os dois gols contra os argentinos, Klose chegou a marca de 52 pela Alemanha. É o terceiro maior artilheiro da história da seleção, atrás apenas de Streich (55) e Gerd Müller (68).

Números que inspiram o trocadilho em inglês com o nome do artilheiro, citado na manchete deste post. Klose está sempre "close to goal" (perto do gol).

2 comentários:

PEDRO disse...

Oi de novo Thomaz.
Escrevi no seu post sobre a eliminaçao do Brasil e voltei agora pq fiquei entrigado e senti necessidade de me explicar.
Não querendo me alongar no assunto, pq sei que e chato, mas so queria esclarecer que nao foi minha intençao te julgar mau ou te chamar de arrogante(o adjetivo foi por sua conta!). A unica coisa que quis foi questionar o modo como se execra alguem depois de uma perda, algo citado em seu texto, e compara-lo a situaçao do mano no timao.
Quanto a deselegancia com o tecnico,adimito que errei, ela foi cometida por Fuzil e Porpetone que o chamaram de covarde(dessa eu me lembro bem!!!)
Desculpe se pareci intrometido ou pretencioso quanto a suas opinioes( senti isso na parte "vc nao sabe nada a meu respeito"), mas talvez essa seja a consequencia de falar para um publico grande. As vezes de tanto ouvir, as pessoas se expressam como se conhecessem o comunicador de longa data ou pudessem tomar certas liberdades que nao podem.
Mesmo achando que de certa forma pode-se conhecer muito de uma pessoa so acompanhando-a pelo radio...
Mas como ja disse, nao foi essa minha intensao.

Mais uma vez valeu pelo espaço e por ter respondido meu outro comentario.

Abraços e "VAI CURINTIA"

Thomaz Rafael disse...

Caro Pedro!

Tá tudo certo e explicado. Só escrevi a resposta no blog pois não queria que você continuasse achando que eu tivesse em algum momento sido desrespeitoso com o Mano. Porque realmente não foi o caso.

Uma coisa é criticar, outra é desrespeitar. Fiquei feliz com seu novo comentário e espero que você continue ouvindo nossos programas e acompanhando meu trabalho.

E você tem razão quanto a conhecer um pouco da gente ao ouvir tanto o nosso trabalho. Somos humanos e é impossível falar o tempo todo como jornalista, sem deixar passar para o ouvinte traços de nossas personalidades.

Abração, vamo que vamo e continue na escuta!