sábado, 3 de julho de 2010

Argentinos viram fregueses! E Alemanha mais favorita do que nunca!


Nas últimas seis Copas, a Argentina caiu diante da Alemanha em três. Virou freguês. Nas outras três, perdeu para Romênia (94), Holanda (98), Suécia e Inglaterra (as duas últimas eliminaram os argentinos ainda na primeira fase, em 2002).

Em nenhum dos cinco fracassos anteriores, no entanto, a Argentina havia sido esmagada como nesta tarde, em Cape Town. Aliás, desde o Mundial de 74, quando levou de 4 x 0 da Holanda, los hermanos não perdiam de maneira tão incontestável.

Foi um chocolate! Uma lavada para o arrogante Diego Maradona não esquecer tão cedo.

Com direito a dois gols de Miroslav Klose (foto abaixo), novo artilheiro da Copa, ao lado de outros cinco goleadores: David Villa, Sneijder, Vittek, Higuain e outro alemão, Thomas Müller.

O último, xará de Gerd Müller, até este sábado, artilheiro alemão isolado na história das Copas. Agora, Müller e Klose dividem a primazia com 14 gols.

A diferença é que Müller está aposentado há décadas e Klose disputará, salvo algum problema, pelo menos mais dois jogos: semifinal e decisão (ou disputa pelo terceiro lugar).

E mais. O atacante do Bayern de Munique pode se tornar o primeiro jogador da história a conquistar a artilharia em duas Copas (foi o máximo goleador em 2006). E está a um gol de igualar o brasileiro Ronaldo (15 gols em Mundiais).

Em compensação, Lionel Messi repete Kaká, Lampard, Rooney, Pirlo, Henry e outros craques que deixarão a África sem marcar um golzinho sequer.

Porém, eliminado ou não, Messi lutou muito neste sábado e jogou demais nas outras quatro partidas.

CADEIRA CATIVA NAS SEMIFINAIS - Chegando pela décima-segunda vez a uma semifinal (em 17 Copas disputadas), a seleção alemã é recordista neste quesito (o Brasil, que é recordista em quase todos os outros números, ficou apenas dez vezes entre os quatro primeiros).

É também dona do melhor ataque deste Mundial, com 13 gols. E certamente é dona do melhor futebol da competição. Pelo menos até aqui.

E pensar que Klose e Podolsky tiveram péssimos rendimentos por seus clubes na temporada 2009/2010. E que Müller e Ozil eram apenas promessas para este Mundial. Imagine quando virarem certeza!

Com Holanda e Uruguai na outra semifinal, times que teoricamente estão um degrau abaixo da atual geração germânica, é bem possível que a decisão para os alemães seja mesmo no próximo jogo, diante dos espanhóis. Isso, claro, se a seleção paraguaia não protagonizar uma zebra do tamanho da América do Sul.

Um comentário:

Anderson disse...

os argentinos falaram de +++ ,que os brasileiros sambavam de ++.mas e eles que dançaram 4 tangos !!