quinta-feira, 10 de setembro de 2009

Craques sobrando e mudança de comportamento


Marcos, Cicinho, Chicão, André Dias e Fábio Aurélio; Cristian, Hernanes, Diego e Diego Souza; Ronaldo e Alexandre Pato.

É ou não é um baita time? Pouquíssimas seleções do planeta tem, em sua melhor formação possível, um time do mesmo nível desta escalação brasileira.

Escalação esta com craques que provavelmente não irão à Copa de 2010. Injustiça? Em alguns casos, talvez sim. Em outros, a explicação se deve a presença de outros jogadores fantásticos na mesma posição.

Os zagueiros Chicão e André, por exemplo, ainda não tem a bagagem internacional de feras como Lúcio, Juan e mesmo Miranda, que já atuou na França e foi muitas vezes convocado por Dunga.

Já no meio, a palavra injustiça cairia bem, na visão deste colunista, para a ausência de Diego.

Especialmente se ele for preterido por um Ronaldinho Gaúcho fora de forma, convocado apenas pelo nome.

E mesmo que o gaúcho volte a encantar e carimbe seu passaporte, acho que algum outro atleta entre os preferidos de Dunga (Elano, Júlio Batista, Ramires, sei lá...) teria de perder a vaga para Diego.

E olha que sou fã dos três citados. Mas a fase de Diego na Juventus, repetindo o belo futebol da temporada passada na Alemanha, é excepcional.

Também não consigo engolir a ausência do ex-corintiano Cristian, cujo futebol vibrante contrasta com os burocráticos Gilberto Silva e Josué.

Porém, como já mencionei em textos anteriores, está cada vez mais difícil criticar o técnico Dunga.

O Brasil vence uma partida atrás da outra. As novas conquistas do ex-aprendiz de treinador vieram em Buenos Aires e Salvador.

Vitória histórica diante do time de Maradona (com mais um longo tabu sendo quebrado, já que o Brasil não batia a Argentina na casa do adverário desde 1995) e a segunda goleada imposta aos chilenos, mesmo com diversos reservas em campo.

Aliás, não importa quem saia ou entre. Os onze que começam jogando atuam com a mesma postura de Dunga em seus tempos de capitão. Aplicação e valentia absolutas em defesa de nosso País.

Se era realmente esse o desejo do presidente Ricardo Teixeira ao apostar no ex-volante, o mesmo foi totalmente realizado. A mudança de comportamento em relação ao que vimos no último Mundial é absurda.

Oxalá esse espírito guerreiro e vencedor permaneça até a Copa da África.

2 comentários:

JACKE EMER AMOR ETERNO disse...

CONCORDO COM TUDO QUE DISSE SÓ NÃO SEI EM QUAL DAS SITUAÇOES SE ENQUADRA O FENOMENO RONALDO.SERIA NA QUE SE TEM OUTRO JOGADOR FANTÁSTICO NA POSIÇÃO??
NÃO CREIO NISSO POIS NA MINHA OPINIÃO O LUIZ FABIANO É BOM PRO TIME E PRO RESULTADO FINAL MAIS PARA OLHOS É DURO DE ASSISTIR TODA AQUELA HABILIDADE RSRS.
NADA CONTRA O FABULOSO MAIS O RONALDO COM 100 KLS É MAIS GENIAL
ABRAÇOS THOMAZ SOU SEU FÃ E SEM VC O PAPO DE CRAQUE TA UMA MERDA HEHE

Rafael Rip disse...

Thomaz concordo com você no que diz respeito `a Cristian e Diego. Mas é difícil imaginar como é a relação das pessoas que formam a seleção. Um time unido, uma família, é um time que já sai com uma enorme vantagem. Os "burocráticos"(excelente adjetivo pros dito cujos), de repente têm vantagens outras, como capacidade interpessoal privilegiada, ou sei lá... Descartar alguém é sempre complicado, sob qualquer circunstância. E o Josué e o Gilberto Silva mesmo não estando em fases nem próximas `a de Diego e Cristian, ainda têm seu futebol de belos resultados, junto `a Seleção. Pelo ponto de vista interpessoal, é trocar o certo pelo duvidoso.
E concordo com o comentário anterior; Ronaldo.
Vou arriscar um palpite, baseado pelo que já vi esse cara fazer e pela relação que ele tem (segundo a própria imprensa) dentro da seleção. Ele vai fazer nas próximas rodadas (a partir do momento que ele entrar, é claro) o suficiente pra ser convocado, por mais alto que seja o sacrifício. E como ele sabe como fazer coisas impossíveis... bom, tá registrado um palpite.
Parabéns pelos comentários sempre no mínimo sensato.
Abraço,
Rafael Rip