sexta-feira, 3 de julho de 2009

Obrigado, Inter!



O Coringão já havia "voltado", como gosta de cantar a Fiel Torcida, já havia vencido o Paulistão de forma invicta e já havia mostrado sua força ao Brasil, chegando duas vezes seguidas à decisão da Copa do Brasil. Enfim, não precisava mais provar muita coisa.

Porém, o goleirão Felipe, de algumas falhas em jogos decisivos, queria mostrar aos críticos que é um atleta confiável. E fechou o gol.

Alessandro e André Santos queriam provar novamente que não são laterais convencionais. Um, defende e dá assistências como poucos; o outro, tem uma chegada mortal pela esquerda e é hoje o melhor da posição no País.

William não precisava mais provar que se trata de um atleta com inteligência acima da média. Acabou provando, porém, que a burrice de um adversário pode levá-lo ao fracasso.

Já Elias e Cristian são a prova de que volantes podem aliar marcação com futebol elegante e passes precisos.

Assim como Jorge Henrique provou que viver é sempre lutar por dias melhores. Abandonado pela mãe e criado pela tia, corre em campo de forma incansável, talvez imaginando que cada gota de seu suor significará uma vida mais fácil para a filha, que acaba de vir ao mundo.

Chicão provou que zagueiros podem ser decisivos e Ronaldo é a prova maior da superação de um atleta. Até deixou a desejar na finalíssma, mas já havia sido aprovado com louvor nos testes contra Atlético/PR e o próprio Inter, na primeira decisão.

E mais do que aprovada é a trajetória de Mano Menezes. Em um ano e meio no Timão, foram três títulos e um vice em cinco competições disputadas.

São todos heróis do tri-campeonato da Copa do Brasil. Heróis de dedicação comovente ao time do Parque São Jorge. E que provaram ao Inter de Porto Alegre que não se brinca com o time do povo.

Desta vez, os derrotados não deram volta olímpica (atitude bizarra dos colorados em 2005), mas tentaram ganhar no grito. Prometeram o inferno fora de campo, mas pouco incomodaram dentro dele.

E pensar que Fernandão, Iarley e outros ex-colorados pouco se esforçaram contra o Goiás, em 2007, para prejudicarem o algoz de dois anos antes.

Mal sabiam eles que o rebaixamento apenas seria o trampolim motivacional que o Timão necessitava para dar a volta por cima e, dois anos depois, impedir novamente a glória gaúcha. Aqui se faz, aqui se paga!

7 comentários:

Daniel Lobo disse...

Nossa, Thomaz, uma das coisas que eu mais queria agora era mandar uma medalha para o mau caráter do Fernandão, com uma mensagem de "lembranças" de um tempo que, felizmente, já passou. Mas a vida é justa... aqui se faz, aqui se paga... ainda teremos a oportunidade de, no campo, tirar o sorriso esquálido e cafajeste do rosto daquele pseudo jogador.
Aquele abraço!

Persianas Harveys disse...

Mais um comentarista fanático, mas não é só você, caro Thomaz! Parece que a maioria de sua classe não sabe o que é analise fria de jogo. Você, como Cléber Machado, não cumprem pelo que recebem.
Afinal, vocês não são pagos para serem torcedores, mas sim para informar friamente o que acontece nos gramados.

por favor mande cópia desse comentário para o seu colega de torcida (CLEBER MACHADO).

Um abraço, Sou seu fã.

Thomaz Rafael disse...

Persianas, fico feliz que a grande maioria dos ouvintes da Transamérica pense de outra maneira. Todos sabem que sou corintiano, mas me elogiam pela imparcialidade. De qualquer maneira, agradeço pelo comentário e também por ser meu fã. Sobre o Corinthians e a falta de profissionalismo de alguns jogadores do Inter naquele episódio do jogo contra o Goiás, penso exatamente o que escrevi. Não fui torcedor. Fui sim, muito sincero. Abração!

Persianas Harveys disse...

Que tempestivaidade, meu caro!!
Parabéns!!!

Anônimo disse...

Olá Thomaz, você “matou a pau”. Faltou citar o Dentinho e Douglas, que se não foram tão brilhantes como os demais, também deram a sua valiosa colaboração. Até que enfim, depois de muitos anos temos um time de verdade. Os de 2002/2003 e 2005 ganharam títulos, tinham alguns ótimos jogadores, mas não tinham o equilíbrio do time atual . Hoje há qualidade em todas as linhas (principalmente no banco, o Mano), todos o jogadores titulares sabem o que fazer com a bola e jogam com técnica e vontade. Para ser melhor, precisa ter mais gana de liquidar o jogo quando as oportunidades aparecem. Em alguns jogos fora de casa contra o Flu, Vasco e Inter era para ter ganho se não tivesse relaxado.
Agora é tentar ganhar o Brasileirão, pois o título vale muito. Sem essa de se acomodar pq. está classificado para a Libertadores. Essa é outra historia. Espero que a Diretoria tenha o mesmo equilíbrio do Mano e não venha com o deslumbre de formar time de jogadores com nome, mas que não estão a fim de nada...como Ronaldinho Gaucho e outros encostados da Europa. O Ronaldo foi uma aposta que deu certo (eu não acreditava), mas não abusemos da sorte. Se mantiver esse time com reforços do mesmo nível, temos chance para o próximo ano. Não vamos cair na paranóia da imprensa “criativa” que vai alardear a “obsessão” Corinthiana pela Libertadores e na pilha dos adversários com as suas tentativas de menosprezar o Timão. Espero que a torcida compreenda que a vitória não é uma obrigação, mas sim a conseqüência de um trabalho feito com inteligência, dedicação e, acima de tudo, tranqüilidade que, por incrível que pareça, foram qualidades que marcaram a trajetória do Timão nesses últimos doze meses. A vitória também é fruto da persistência, por isso às vezes é necessário disputar várias libertadores seguidas para ir “pegando o jeito”. Os times brasileiros que mais ganharam, também foram os que mais disputaram, portanto, se não for possível no próximo ano, que não repitamos os absurdos de 2000, 2003 e 2006 quando a revolta da torcida e a incompetência da Diretoria quebraram a seqüencia do trabalho e levaram o time ao fundo do poço, como bem sabemos.
Parabéns a você aos Corinthianos e ao Timão.

Marcílio.

Douglas R. Souza! disse...

Agora falou Tudo Thomaz! O mundo dá voltas e nenhuma pancada pasa desapercebida. E olha que levamos bastantes nos últimos tempos, agora chegou a nossa vez. Rumo ao BI-MUNDIAL!

ARISTEU disse...

TIMAÇO !!! O INTER FOI PAREO PRO NOSSO GRANDE TIME E NEM A TORCIDA DELES QUE EMUDECEU COM A PROPRIEDADE COM QUE COMANDAMOS A PERTIDA !E CALADOS PELOS 2 MIL CORINTHIANOS QUE NÃO SE INTIMIDARAM E APOIARAM A EQUIPE EM TEMPO INTEGRAL !!
GRANDE TRABALHO DA DIETORIA E COMISSÃO TECNICA !!
E ESSE MANO É SENSACIONAL !!!